A sarcopenia pode ser definida como a perda progressiva de massa magra e força que acomete a função física, principalmente em idosos.

Para retardarmos esse processo, estratégias que visem a preservação e a melhora da saúde muscular do paciente como o treinamento resistido com pesos e a dieta são bem discutidos no âmbito da saúde,

Quando falamos em dieta, as proteínas tem papel fundamental neste aspecto, devido a serem constituintes essenciais do tecido muscular propriamente dito, de modo a que uma dieta com baixo aporte proteico ao idoso pode comprometer a sua função física.

Aí vem a pergunta, quanto de proteína seria o ideal para o idoso? Estudos já vem analisando que a quantia de 1,4g/Kg já teria uma resposta muito boa sobre a manutenção da massa magra.

Alimentos com alto valor biológico, que são proteínas de origem animal, possuem uma melhor resposta.

De modo geral, o idoso precisa de um aporte proteico um pouco maior, fontes essas advindas da carne, frango, leite, ovos e afins. Para muitos a suplementação com proteína (Whey Protein) seria fundamental visto que, muitos idosos possuem dificuldades na hora da alimentação, seja por não possuírem a arcada dentária completa e isso inviabiliza o quesito mastigação, seja pela inapetência (falta de fome).

Não esqueça, o acompanhamento com o médico geriatra e com o nutricionista é fundamental para o acompanhamento e envelhecimento saudável.

Elaborado por Nutricionista Bruna Champe CRN-12657

Contatos

email: champenutricao@gmail.com

instagram: nutribruna_champe

Whatsapp: 54- 9 91970870

 

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *