Envelhecimento Cutâneo

O envelhecimento pode ser definido como sendo  ―um conjunto de alterações morfológicas, fisiológicas e bioquímicas inevitáveis que ocorrem   progressivamente   no organismo ao longo de nossas vidas. (RIBEIRO, 2006). Devido a este fato, além de se ter cuidados com o corpo, saúde e bem estar, algo que vem preocupando muito a população é o cuidado  com  a  pele,  principalmente  para  mantê-la  jovem  por  muito  mais  tempo,  retardando, ao máximo, as marcas do envelhecimento.

À medida que os  indivíduos  envelhecem,  a  pele  perde  uma  de  suas  grandes propriedades: a elasticidade. Associado a isto, também ocorre perda de colágeno e reduz sua hidratação, tornando-se seca  por  menor  capacidade  funcional  das  glândulas  sudoríparas  e sebáceas.

O envelhecimento começa a se manifestar a partir dos 30 anos de idade, podendo ser classificado de duas formas básicas, dependendo  de  como  ocorre:  o envelhecimento intrínseco,  ou  cronológico,  e  o  extrínseco,  ou  fotoenvelhecimento.  Fatores como radiação ultravioleta, radicais livres, temperatura, tabaco e poluição, genética e cor da pele contribuem para este processo.

Várias teorias foram propostas para um melhor entendimento do processo de envelhecimento cutâneo. Contudo, pode-se destacar a teoria mais conhecida: a formação dos radicais livres. Os radicais livres são moléculas instáveis, que perdem um elétron nas interações com outras moléculas que estão ao seu redor. Tais moléculas são reconhecidas como uma das principais causas do envelhecimento e das doenças degenerativas associadas a ele. A produção contínua de radicais livres, durante os processos metabólicos, levou o organismo a desenvolver mecanismos de defesa para limitar os níveis intracelulares e impedir a indução de danos. Os antioxidantes são agentes responsáveis pela inibição e redução das lesões causadas pelos radicais livres nas células. Algumas vitaminas atuam como antioxidantes, sendo as mais citadas na literatura o retinol, ácido ascórbico e tocoferol. Tais vitaminas são, respectivamente, conhecidas pela nomenclatura como vitamina A, vitamina C e vitamina E.

Elaborado por Nutricionista Bruna Champe CRN-12657

Contatos

email: [email protected]

instagram: nutribruna_champe

Whatsapp: 54- 9 91970870

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posso lhe ajudar?