VOCÊ PULA O CAFÉ DA MANHÃ?

Pular o café da manhã tem se tornado um prática cada vez mais comum e ganhou ainda mais força com a popularidade do jejum intermitente. Além de poupar tempo, muitas pessoas acreditam que pular o café da manhã pode auxiliar no controle de peso [1].
Diversos estudos já foram realizados para tentar avaliar os riscos e benefícios de pular o café da manhã e o que podemos perceber é que os riscos podem ser maiores do que os benefícios quando comparado a uma alimentação saudável tradicional.
O café da manhã, ou desjejum, está associado ao controle do apetite e ao controle glicêmico ao longo dia. O ato de pular o café da manhã pode alterar a função de alguns genes envolvidos em nosso relógio circadiano. Estas alterações desencadeiam mudanças no apetite, diminuição da saciedade e aumento da resistência a insulina. Pular o café da manhã também pode levar ao aumento de quadros de ansiedade e super compensação alimentar no final do dia.
Todos estes fatores corroboram para um risco aumentado de doenças cardiometabólicas, sobrepeso e obesidade[1][2][3].
Sendo assim, o ato de pular o café da manhã por si só não é uma opção saudável e pode proporcionar mais riscos do que benefícios para saúde se os hábitos alimentares não estiverem adequados.
Desjejuns feitos com refeições predominantemente sólidas e com maior quantidade de proteínas costumam promover melhora no controle do apetite e na saciedade. O tamanho da refeição também é um fato a ser considerado. Refeições maiores além de promoverem maior saciedade podem reduzir a compensação alimentar no final do dia. Desta forma, o café da manhã pode exercer efeitos regulatórios e positivos sobre o metabolismo. [4]
Utilize o desjejum para nutrir o seu corpo com opções variadas e saudáveis como uma boa variedade de frutas, iogurte, grãos integrais, ovos e sementes.
Referências:
[1]Ma, Xiumei, et al. “Skipping breakfast is associated with overweight and obesity: A systematic review and meta-analysis.” Obesity Research & Clinical Practice 14.1 (2020): 1-8.
[2]Bi, Huashan et al. “Breakfast skipping and the risk of type 2 diabetes: a meta-analysis of observational studies.” Public health nutrition vol. 18,16 (2015): 3013-9. doi:10.1017/S1368980015000257
[3]de Souza, Marielly Rodrigues et al. “Skipping breakfast is associated with the presence of cardiometabolic risk factors in adolescents: Study of Cardiovascular Risks in Adolescents – ERICA.” The British journal of nutrition, 1-23. 12 Oct. 2020, doi:10.1017/S0007114520003992
[4]Gwin, Jess A e Heather J Leidy. “Uma revisão das evidências que cercam os efeitos do consumo do café da manhã nos mecanismos de controle de peso.” Avanços na nutrição (Bethesda, Md.) Vol. 9,6 (2018): 717-725. doi:10.1093/advance/nmy047

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posso lhe ajudar?